By

Um estudo da University College London, no Reino Unido, mostra que o facto de andar mais enervada pode desencadear obesidade. Sabia?

Estávamos em 2002 quando um grupo de investigadores da University College London resolveram analisar de que forma é que o stress poderia ser (ou não) desencadeador da obesidade. Agora, quinze anos depois, chegaram as conclusões, citadas pela ABC News.

No início da investigação, os cientistas tiraram as medidas a 2.500 pessoas, com idades entre os 54 e os 87 anos, bem como os níveis de cortisol (conhecida por hormona do stress). A cada quatro anos, esses valores foram sempre analisados e, no caso do cortisol, através dos fios capilares das pessoas em estudo.

No final, a conclusão foi clara: os níveis mais altos de cortisol estavam presentes nas pessoas que apresentavam maior peso (entenda-se nos homens uma circunferência abdominal acima dos 111 centímetros e nas mulheres uma circunferência abdominal a rondar os 87 centímetros) e um índice de massa corporal (IMC) mais elevado.

Esta não foi a única conclusão retirada pelos investigadores. Na mesma publicação pode ler-se que Sara Jackson, uma das autoras do estudo, considera que não só o stress provoca obesidade, como esta provoca stress. No fundo, estamos perante um ciclo vicioso.

Em suma, serve este estudo da University College London para, mais uma vez, repensarmos nas nossas escolhas e apostarmos numa vida mais saudável. É importante fazer exercício físico regular e não abdicar de uma alimentação rica em nutrientes. Para a ajudar, leia os nossos artigos: seis alimentos anti-stress, sabia que o exercício físico é o remédio para qualquer doença e novos estudos que vão mudar a forma como olha para o exercício físico.

Conhecia este estudo? Já alguma vez tinha pensado que o stress pode aumentar o risco de obesidade? Partilhe connosco a sua experiência!

 

Leave a Reply