By

Nos dias de hoje, não é fácil chegar ao final do mês com poupanças. Por isso, é importante criar hábitos financeiros que nos ajudem a usar bem o dinheiro e a ter uma vida tranquila.

Numa era em que as imagens com frases feitas são partilhadas aos milhares nas redes sociais, há uma com tendência a ser mais vista a partir de meio do mês. “A cada dia que passa sobra mais mês no fim do dinheiro”. O trocadilho é simples de decifrar: ainda faltam alguns dias para a pessoa receber o salário e o valor monetário que possui já é escasso.

Não é fácil fugir a este cenário quando há muitas despesas e poucas receitas. No entanto, em muitos casos, passa muito pela autogestão que cada um faz da sua economia. Afinal, haverá medidas que podemos adotar para conseguir chegar ao final do mês com poupanças?

Chama-se Kakebo e, segundo os japoneses, é a solução inovadora para gerir as economias pessoas e retirar o máximo proveito do dinheiro. Em Portugal, já existe este livro de contas editado pela Vogais (14,39€). Nele, de forma bastante divertida e simples, consegue registar e controlar, semanalmente, todas as suas contas e despesas. Para ter uma ideia, até os valores gastos em discotecas, cosmética e reparações são contabilizados.

Esta poderá ser uma forma de economizar, mas não é, de todo, a única. Outro dos truques é autodisciplinar-se com perguntas a si mesma todos os meses. Conversar consigo própria, mesmo que seja no duche, e encontrar as respostas que precisa é meio caminho para resolver muitas coisas e estar alerta para outras que pode estar a fazer mal. A seguir, atente nas perguntas que não deve deixar de fazer.

Tenho dinheiro na conta para despesas de três meses?

Imprevistos acontecem, todas sabemos. Por isso o melhor é ter sempre um valor na sua conta que lhe permita estar tranquila durante meio semestre, se de repente ficar sem emprego ou tiver uma despesa que não estava a contar. Mesmo que o valor total de despesas mensais não seja sempre igual consegue, de certeza, fazer uma estimativa. Multiplique esse valor por três e tenha-o sempre guardado.

Comprei alguma nos últimos dias de que não precisava?

Levantou dinheiro para pagar alguma coisa, mas entretanto foi ao café e gastou-o. Ou passou numa loja e não resistiu ao vestido que estava na montra. Precisava mesmo dele? E o lanche, não o poderia ter comido em casa? É muito importante que faça sempre o balanço do valor que gastou, para perceber se algo foi em vão.

Tenho alguma dívida? Como posso diminuí-la?

Pediu algum crédito ou banco ou está, por exemplo, a pagar uma televisão a prestações? Atente no valor que lhe falta pagar e tente encontrar formas credíveis e “saudáveis” de conseguir esse dinheiro. Quem sabe se poupar mais na resposta à pergunta em cima não diminui a dívida mais rapidamente…

Como posso aumentar o meu orçamento mensal?

Talvez não consiga arranjar um segundo emprego, mas há trabalhos esporádicos em que pode apostar. Veja, dentro do seu núcleo de amigos, se há alguém que precisa da sua ajuda. Além disso, pesquise sempre em sites de empregos se há alguma situação pontual em que pode aceitar algum trabalho.

Qual é a sua relação com o dinheiro? Consegue fazer poupanças? Leia também os nossos artigos sobre como poupar ao almoço e maneiras desintoxicar sem gastar um cêntimo

 

Leave a Reply