By

Tem seguido o plano de alimentação exclusivo feito por Nádia Brazão? Ficou com algumas dúvidas ou quer saber o que precisa para manter o peso que conseguiu? Leia as respostas da nutricionista e não se iniba: se tiver mais perguntas faça o favor de as colocar.

Durante as últimas duas semanas lançámos-lhe o desafio de seguir o plano de alimentação de Nádia Brazão. A nutricionista criou receitas simples, fáceis e saborosas para a primeira e segunda semana, para que mantivesse uma alimentação saudável durante as férias.

Agora, com o plano a chegar ao fim, começam a surgir algumas questões. “Faltou-lhe algum ingrediente para cumprir uma receita?” e “o que fazer quando fica com fome”, são só algumas das perguntas que a nutricionista Nádia Brazão respondeu. Se além das dúvidas esclarecidas em baixo ainda ficar com mais alguma, coloque-a na parte dos comentários.

 

 

 
Que quantidade de alimentos devo ingerir?
Tendo em conta que este plano alimentar não é a adaptado individualmente e é um plano de manutenção de peso, deve comer até se sentir satisfeito: por um lado não se deixando ficar enfartado, por outro não ficar com ‘fome’. Deve respeitar o tempo de mastigação e principalmente saborear bem os alimentos. Tente tirar partido de cada refeição.
Se cumprir o plano e ainda assim sentir fome, o que devo fazer?
Se sentir fome deve avaliar a causa. Se ingeriu quantidade insuficiente na refeição anterior, ou se ficou um intervalo de tempo demasiado longo entre refeições. Tente repetir algum snack, usando as opções do próprio dia ou de outro dia alimentar. E faça a si próprio estas perguntas: “Será que preciso? Que vantagens este snack me trará em nutrição? Como é que me vou sentir?” E respeite as respostas.
Faltou-me algum ingrediente para cumprir na integra a receita, o que faço?
Tente adaptar a receita utilizando algum outro ingrediente igualmente saudável. Por exemplo: se não tem açúcar de coco use mel ou açúcar mascavado; se não tem óleo de coco use azeite; se não tem curcuma use caril; se não tem melancia, coma pêssego. A ideia é adaptar as receitas à realidade da sua despensa, e nunca deixar de tentar replicá-las.
Quais as melhores especiarias e ervas para temperar?
Hoje em dia as especiarias são de uma forma geral bastante ‘bem vistas’, não só pelo potencial culinário de adicionar sabores ‘mágicos’ às nossas refeições, mas também em nutrição. Recomendo aos meus pacientes que tenham sempre na despensa as seguintes: curcuma, pimenta, cominhos, grãos de mostarda, canela e as ervas frescas como coentros e salsa. Por razões diferentes como: potencial antioxidante, anti-inflamatório, termogénico, quelante de metais pesados, entre outros! São boas apostas para garantir um estado nutricional adequado. Mantenha-as por perto!
Como consigo escolher os melhores ingredientes para as minhas receitas?
 Sem dúvida que a escolha dos ingredientes é fundamental em nutrição. Quando falamos em frutas e legumes devemos sempre escolher os mais frescos, recém-colhidos, ou seja, mais próximos de nós, e dando preferência aos produtos de época e biológicos. Nos produtos embalados devemos também optar por produtos biológicos e que contenham ingredientes conhecidos, sem adição de substâncias desnecessárias para o nosso metabolismo como: aditivos, conservantes, açúcares simples, etc. Na carne devemos sempre preferir a de animais de pasto ou tratados ao ‘ar livre’, e no peixe dar preferência ao selvagem, ou seja, de captura no mar em detrimento do peixe de aquicultura. Todos os produtos processados são de uma forma geral desnecessários, e lembrem-se: quanto maior o tempo de vida do alimento, menor o seu. As escolhas mais simples são as melhores.

plano alimentar

 

Não se esqueça de nos dar feedback de como correu o plano de alimentação!

 

Leave a Reply