By

É ela quem assina as páginas de beleza da Saber Viver e nos aconselha que tratamentos aplicar, que perfumes usar, que tendências de maquilhagem e cabelos seguir. Conversámos com Madalena Alçada Baptista.

Algumas pessoas demoram muito tempo a encontrar a sua vocação. Outras parecem ter os seus percursos delineados desde cedo. Descubra o que levou Madalena Alçada Baptista a apaixonar-se pela área de Beleza e conheça melhor quem a aconselha todos os meses na revista Saber Viver.

 
Lembras-te do teu primeiro contacto com maquilhagem?
Perfeitamente. A minha mãe tinha em casa uma caixa bordeaux forrada com tecido às flores. Os produtos já nem deviam estar bons, mas eu adorava mexer naquilo!
Que produtos tinha lá dentro?
Pó e batons. Lembro-me do cheiro.
Incutiram-te esse gosto pelos cosméticos?
Em casa, não. A minha mãe não é nada vaidosa. Mas a minha avó sim. Antes de sairmos de casa, punha-me sempre batom encarnado nas bochechas, porque dizia que eu era muito amarelinha, e borrifava-me com água-de-colónia. Ela própria sempre se maquilhou, todos os dias. Acho que foi mais por ela que tomei o gosto por este tipo de coisas.
Como se maquilhava?
Usava aqueles batons marroquinos que se adaptam à cor da boca, rímel e lápis preto.
Quando é que te começaste a interessar pelas várias áreas da beleza?
Em criança despejava os frascos de champô e de cremes para sentir as texturas e os cheiros. Sempre adorei. Na adolescência desenvolvi uma paixão por perfumes e já comprava perfumes de marca. Guardava o dinheiro que tinha para comprar “aquele” perfume.
Qual era a tua marca favorita?
Nessa altura não tinha uma marca. Comprava por moda. O primeiro perfume feminino que comprei, foi o Acqua di Gio e adorava. Mas também usei o L’Air du Temps da Nina Ricci, que me foi oferecido.
Sempre quiseste ser editora de beleza?
A seguir ao liceu achei que queria ser era maquilhadora. Tirei um curso de maquilhagem, mas não me preenchia. Então, dois anos depois fui tirar comunicação. Quando entrei para jornalismo disse logo que, no futuro, queria ser editora de beleza. Aliava a escrita ao meu fascínio por perfumes e cremes…
Que tipo de maquilhagem preferes?
Simples. Quando era mais nova não me maquilhava. Só queria ter vinte e tal anos para me poder pintar. Mas nunca me pintei muito. Maquilhava-me quando ia sair à noite ou jantar com amigos. Com a idade fui percebendo que preferia ter as imperfeições da pele corrigidas, disfarçar bem as olheiras (que tenho muitas) e usar um batom colorido.
Qual é o teu tom favorito?
Neste momento, o mais parecido com a boca possível. Framboesas, o clássico encarnado. … Mais a puxar para os rosados, não para os nudes que não me ficam bem (tenho a boca fininha).
Quando começaste a pintar o cabelo?
Pintei na adolescência com as minhas amigas. Pintava de loiro, ruivo, fazia tudo. Mas, por necessidade, a partir dos 30, porque comecei a ter cabelos brancos. Por mim não pintava, tinha mantido a minha cor original. Não era nem castanho nem loiro, era um loiro escuro acinzentado. Mas uma editora de beleza tem que ter um cabelo cuidado. Agora tento encontrar uma tinta que se aproxime da cor original do meu cabelo. Pinto o meu próprio cabelo.
E cuidados com mãos e pés, tratas em casa ou vais a uma especialista?
Prefiro tratar em casa. Não tenho é muito tempo, pelo que sou um bocado negligente.
Segues as tendências nos vernizes?
Não, sou muito clássica: encarnado, bordeaux, nudes. Gosto muito dos lamas que começaram a entrar na moda no ano passado. Apesar de serem cores inovadoras, são clássicas, não são muito chocantes.
Se pudesses escolher um perfumista para fazer o teu perfume de sonho, quem seria?
O perfume tinha que ser ou fresco, cítrico, empoado ou amadeirado. Não gosto de florais muito abertos. Numa abordagem clássica escolheria o perfumista da Chanel, Jacques Polge. Se fosse uma abordagem mais moderna gostava que fosse a Marie Salamagne, que tem feito imensos perfumes. Fez o Alaïa, por exemplo.
 

SHOPPING

Na primeira pessoa

Quando gostamos muito de um café ou de um restaurante, voltamos sempre. Nem que seja para confirmar que é, de facto, fora de série. Conheça os cosméticos que conquistaram a nossa editora de beleza e porquê.

CREME DE ROSTO

“Sou uma fã assumida de Filorga no que diz respeito aos cuidados de rosto. Desde os séruns aos cuidados de rosto e de olhos. A fórmula com NCTF e ácido hialurónico vetorizado hidrata profundamente e preenche a pele, ideal para a minha pele desidratada”

HIDRATANTE DE CORPO

“Ictyane, da Ducray, é perfeito para preservar a elasticidade e firmeza da pele ao mesmo tempo que combate a desidratação. Além disso, tem uma fragrância leve e uma textura que faz da aplicação um momento de puro prazer”

MULTIFUNÇÕES

“Uso-o mais no corpo quando estou cheia de pressa, mas gosto da ideia de o ter por perto em situações SOS. Serve para acabar de vez com a secura extrema em zonas como os cotovelos ou os joelhos. O perfume? Irresistível”

MÁSCARA

“As máscaras em tecido ou gel são uma moda que veio da Ásia e que eu adotei a 100%. Não tenho muito tempo para tratamentos que vão além da rotina básica e estas máscaras são a solução ideal. A Maskream Hidratante é ma-ra-vi-lho-sa na sua função. Acreditem!”

CABELO

“Acabada de chegar ao mercado português, é uma gama que baseia a sua ação nos benefícios dos óleos biológicos de argão. Estou viciada na gama toda (champô + amaciador + óleo) que deixa o meu cabelo suave, hidratado e com um brilho invejável”

PERFUME

“Uso este perfume desde que me lembro. Apesar de ser floral, é bastante leve e empoado, o que lhe confere um caráter intemporal. Fiquei feliz quando este ano a marca lançou a coleção Les Infusions, juntando-lhe cinco outras fragrâncias, todas irresistíveis”

TRATAMENTO DE CABINE

“Estou viciada nos tratamentos de rosto da loja Organii. É dos poucos locais em Lisboa onde consigo desligar-me de tudo. Os produtos orgânicos fazem parte dos protocolos de gabinete que são muito bem executados pelas mãos das profissionais que ali trabalham”

MAQUILHAGEM
BASE/CREME COM COR

“Desde que experimentei este CC Cream da Chanel que não quero mais nada. Tem um poder de cobertura ótimo, espalha-se lindamente na pele e, melhor de tudo, protege-me da radiação nociva todo o dia”

CORRETOR DE OLHEIRAS

“Sei que há corretores de olheiras mais conhecidos que este, da Estée Lauder. Mas não acho justo! É, desde sempre, o meu corretor de eleição e aquele que melhor disfarça as minhas olheiras profundas. Recomendo mesmo que experimentem”

BATOM

“É complicado eleger só um produto de maquilhagem da Marc Jacobs. Mas a ter que fazê-lo, escolho os batons de textura cremosa, cores variadas e acabamento semi-mate. Com bastante pigmento, conseguem uma cor homogénea e duram mais tempo”

VERNIZ

“A cor de verniz mais elegante de todos os tempos. Dá para usar no outono, no inverno e estendê-lo até à primavera e ao verão. O pincel torna a aplicação facílima, até para as menos jeitosas e a textura do verniz é espessa mas flexível”

MÁSCARA DE PESTANAS

“O aplicador original em forma de bola faz com que a aplicação de máscara não deixe margem para erros ou borrões. As pestanas ficam preenchidas, alongadas e separadas, sem grumos”

 

Leave a Reply