Guarda-costas

By

Quem ainda não teve uma dor de costas que se acuse. As queixas têm aumentado e, por isso, agora existe um apoio gratuito e que está apenas à distância de um clique. Está a sentir as “costas quentes”?

Novos como velhos, todos se queixam de dores de costas. Em 2012, o número de pessoas que padeceram deste mal atingiu o seu record mundial: 632 milhões. Uma subida de quase 50%, em apenas duas décadas. Tudo porque as passamos cada vez mais tempo sentados.

Para dar resposta a esta tendência negativa, mas crescente, um grupo de especialistas portugueses criou o site Dói-me as Costas. O objetivo principal é ajudar a população portuguesa a distinguir entre as dores musculares comuns, e os sintomas de uma doença crónica.

“Nem todas as dores nas costas são comuns e transitórias. Algumas podem corresponder a doenças crónicas que merecem uma atenção particular” – Público (abril 2015)

Fernando Pimentel, reumatologista

Onde esclarecer todas as dúvidas
Por vezes é difícil interpretar os sinais de alerta. Outras vezes, simplesmente, insistimos que não há problema algum e que a dor é passageira. E que basta fazer alguns exercícios para melhorar a postura. Contudo, não é sempre esse o caso. Deixar arrastar a situação só piora, porque, depois, a recuperação será muito mais dolorosa. Foi por isso que a Sociedade Portuguesa de Reumatologia e a Associação Nacional de Espondilite Anquilosante fizeram uma parceria, para desenvolverem esta útil a plataforma, onde reuniram os principais sintomas a que devemos estar atentos.

Em prol da sociedade
A título de exemplo. No site Dói-me as Costas é explicado que o aumento gradual de dor na região inferior das costas, a rigidez matinal, a fadiga, o inchaço noutras zonas do corpo, como os joelhos, as costelas e os calcanhares, são alguns dos sinais de alerta que indicam pode sofrer de espondilite anquilosante. Esta doença inflamatória crónica reduz drasticamente a qualidade de vida do indivíduo, ao afetar as articulações e ligamentos da coluna vertebral. Caso sinta, há mais de três meses, qualquer uma das manifestações de dor mencionadas em cima consulte a plataforma Dói-me as Costas.

 

Fontes: www.anea.org.pt ; http://www.doimeascostas.pt/PT/Sintomatologia/Sintomas-mais-Frequentes?2 ; http://www.publico.pt/sociedade/noticia/doime-as-costas-ajuda-a-dar-um-nome-a-este-sintoma-1691354

 

Leave a Reply