By

A marca pessoal é todo o pacote que nos identifica. Hoje em dia, com um mercado tão concorrido, é importante que a utilize de forma a distinguir-se dos outros pela positiva.

“São as competências, atributos e personalidade das pessoas que fazem com que os projetos e as empresas tenham êxito”. A frase é de Maria Duarte Bello, especialista em personal branding e autora do livro A Tua Marca Pessoal (A Esfera dos Livros).

Hoje, para termos sucesso profissional, é preciso mais do que competências técnicas. Porquê? “As pessoas são sempre mais conhecidas e escolhidas pelos seus atributos do que pelas empresas por onde passaram”, garante Maria Duarte Bello. Para tal, temos de definir bem a nossa identidade, valores e missão, saber que imagem queremos projetar e comunicá-la da melhor forma possível. Ou seja, implica transformarmo-nos numa marca e ter um plano de ação!

Quando é que devemos accionar este plano? 

Ainda que possamos criar a nossa marca pessoal num momento qualquer do percurso profissional, a especialista em personal branding diz que só ao fim de dois ou três anos de experiência é que estamos aptos a avançar com segurança. “Nessa altura, a pessoa já sabe o que quer, afinou os valores, os traços de personalidade e a missão; atributos que pode transmitir e que podem ser visualizados como bons”, informa.

Que máximas vão ajudar-me a criar a uma marca pessoal?

Autenticidade

Procure adequar as suas ideias à sua personalidade, caso contrário poderá soar pouco credível. Maria Duarte Bello explica que, “se uma pessoa mais reservada ou tímida fizer uma proposta que não combine com aquilo que mostra ser, estranha-se”.

Imagem

Tenha atenção à sua comunicação não-verbal, desde a forma como se veste, às expressões faciais. Já no âmbito do relacionamento interpessoal deve ter cuidado com o seu comportamento e modo de atuar. A forma como se dirige aos seus colegas também é muito importante: a cortesia é um elemento chave.

Carisma

Identifique o que a torna única e diferente dos seus colegas. Pode ser uma característica positiva, ou um marco no seu percurso. No entanto, não deve revelar tudo do seu passado e maneira de ser, uma vez que o mistério é essencial “para que a marca pessoal continue a evoluir”.

Gestão de relações

Mostre o seu entusiasmo, desfrute da vida e fortaleça o que tem de bom. Segundo Maria Duarte Bello, “o contentamento é contagiante, mas também o são os sentimentos negativos como o pessimismo ou a destruição.”

Assertividade 

Verbalize o que pensa, sente e quer com cuidado e sem agressividade. Espere a compreensão e, se esta não vier, tente outra vez até esgotar as possibilidades.

Sente que já criou a sua marca pessoal?

 

Leave a Reply