By

Será que o consumo regular destas bactérias amigáveis faz com que o nosso desempenho nos treinos melhore? Se sim, quais são os alimentos probióticos em que devemos apostar?

Todas sabemos que uma alimentação saudável é um complemento essencial à atividade física regular. Está mais do que provado que consumirmos os alimentos certos com o máximo de nutrientes influencia positivamente o nosso rendimento e dá-nos a energia que precisamos. Mas, se de uma maneira geral a comida saudável é um boost para o nosso treino, de que forma é que os alimentos probióticos podem impulsionar o nosso desempenho?

Segundo a Organização Mundial de Gastroenterologia, estas bactérias amigáveis “quando administradas em quantidades apropriadas, conferem benefícios à saúde do hospedeiro”. Entre esses benefícios, estão “um trânsito intestinal regulado, intolerância à lactose atenuada, produção de anticorpos favorecida, diminuição do risco de contrair cancro do cólon e outras doenças intestinais e um sistema imunológico reforçado”.

Todas estas mais-valias são importantes no desempenho do exercício físico. Logo, podemos afirmar que o consumo de alimentos probióticos, embora não diretamente, é um bom impulsionador para o treino. Pegando num exemplo prático: quando estamos a fazer exercício de alta intensidade, o nosso sistema imunológico tem tendência a estar sob pressão. Desse modo, é essencial garantir que os níveis de imunidade estão no auge. Como? Através de alimentos com bactérias benéficas (como os probióticos) que mantém o corpo em equilíbrio.

Para ficarmos a perceber melhor esta matéria, falámos com o duplo profissional e personal trainer Bruno Salgueiro (veja o seu treino de 4 minutos aqui). Afinal, como praticante diário de exercício físico e baseado na sua experiência, sente que os alimentos probióticos fazem com que tenha um incentivo extra?

“Na minha experiência, posso afirmar que não senti que impulsionasse diretamente. Contudo, o stress derivado do treino, dia a dia no geral e alimentação que na maioria dos casos é sub-óptima, pode levar a um funcionamento digestivo ou intestinal deteriorado. Os probióticos ‘fortalecem’ estas funções vitais, conseguindo regularizar as mesmas. Isso pode fazer a diferença através duma menor desidratação e maior bem-estar, que se pode transformar em maior qualidade também do nosso treino e resultados derivados do mesmo“, contou-nos.

Sendo assim, em que alimentos probióticos é que os desportistas devem apostar? Bruno Salgueiro responde: “os iogurtes são uma boa ajuda para quem não tiver problemas com a lactose. Em casos mais ‘agudos’ de má digestão ou funcionamento intestinal (em alguns também hereditários) uma suplementação parece-me ser mais adequada. O kefir também é um bom exemplo. Este é conseguido através da fermentação do leite e tem inclusive mais concentração de probióticos que o iogurte”, sugeriu.

Em suma, podemos afirmar que a inclusão de alimentos com microorganismos vivos benéficos na nossa rotina diária é um bom princípio, não só para nos dar mais energia, como para nos dar as defesas de que precisamos quando o nosso organismo começa a fraquejar.

Costuma consumir alimentos probióticos?

 

Leave a Reply