By

Se ficou com vontade de descobrir e experimentar mais oportunidades cool a baixo custo, depois de ler o nosso post sobre a Casa d’Aldeia, saiba mais agora, com o relato da jornalista Ana Cunha Almeida:

A primeira vez que usei o Airbnb correu bem. Precisava de ir a Londres e já tinha ouvido falar desta rede online onde é possível alugar um apartamento, um quarto, uma casa na árvore, um barco… diretamente aos seus proprietários. De pessoa para pessoa. Bem, na altura bastava um quarto no bairro de Notting Hill.

O site é tão intuitivo e apelativo que, se não tiver cuidado, dá por si a passear pelas cidades ao mesmo tempo que espreita casas fantásticas.”

Ana Cunha Almeida

O Airbnb tem informação organizada por temas. Vamos imaginar, se quiser ir a Roma, pode pesquisar mediante prefira ficar na zona histórica, na zona artística, nos bairros de boa gastronomia ou até no “queridinho dos romanos”, como lhe chama o Airbnb. Depois é ir consultando as ofertas existentes e respetivos preços. Pode ler os comentários acerca do espaço, partilhados por quem já lá esteve. Dá-lhe uma confiança diferente na altura de decidir por uma ou por outra casa. Por fim, é só trocar um e-mail com a pessoa que está a alugar. Mas antes de se entusiasmar, se quer mesmo alugar um sítio para ficar através do Airbnb, a primeira coisa que deve fazer é registar-se no site. É uma óptima alternativa aos hotéis. Encontra preços para todas as bolsas e localizações onde, muitas vezes, os hotéis não estão. Se ainda não conhece, visite o site aqui.

 

Leave a Reply