By

Não é preciso ser radical para ter uma vida mais natural: inclua alimentos integrais no cardápio, deixe o carro em casa de vez em quando, vista tecidos orgânicos… Pequenos (grandes) hábitos que nos reaproximam com o que há de mais simples na vida.

Atitude verde. Estas são as palavras de ordem do momento. Este ano, o verde Greenery é a aposta do Pantone Color Institute que, desde 1999, dita as tendências cromáticas. Tal como nos anos anteriores, a escolha desta tonalidade não foi escolhida ao acaso. “Enquanto as cores de 2016, Rose Quartz e Azul Serenity expressavam a procura pela paz num mundo caótico, em 2017, Greenery traz a segurança e a esperança que precisamos em tempos de um ambiente social e político tumultuoso. Satisfazendo o nosso desejo crescente por rejuvenescer e revitalizar, a cor simboliza a ligação que procuramos com a natureza, com as outras pessoas e com um propósito maior”, explicou em comunicado oficial Leatrice Eiseman, diretora executiva do Pantone Color Institute.

Este verde que assalta de rompante as passerelles internacionais, as montras das lojas e as paredes de nossa casa ou as nossas despensas, esconde uma intenção de recomeço, algo bastante pertinente nos tempos de hoje. A ideia é respirar, oxigenar e revigorar.

Traga essa esperança para a sua vida com pequenos (grandes) hábitos que vão fazer toda a diferença no seu dia a dia.

1. Tenha um bom dia

Uma vida mais natural começa de manhã. Dica para aqueles que se arrastam da cama assim que acordam: uma boa caneca de chá de ginseng (triture a raiz) com um pedaço de canela e cascas de laranja. Adoce, se precisar, com mel orgânico ou açúcar mascavado. Energia e calor, na dose certa para um início de dia cheio de power.

2. Descalce-se

Sabia que andar descalça é um género de massagem gratuita e natural? Além disso, ajuda a formar o arco do pé, evitando o aparecimento do pé chato; melhora o equilíbrio e ajuda a descarregar tensões. Afinal, as crianças até têm uma certa razão quando chegam a casa e a primeira coisa que fazem é (tentar) tirar os sapatos!

3. Compre biológico

Os alimentos orgânicos são habitualmente mais caros do que os convencionais, mas o custo compensa, porque o volume de agrotóxicos adicionados aos não orgânicos é cumulativo e está relacionado com o aumento de casos de cancro e doenças degenerativas. A promoção da qualidade alimentar através do aumento da produção em modo biológico é o objetivo do Governo com a Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica. Além disso, o cultivo biológico segue padrões sustentáveis de produção agrícola, o que ajuda a preservar o meio ambiente. Se investir só em alguns alimentos deste tipo, opte pelos básicos, como maçã, batata, alface, couves, ovos… E não se esqueça: são muito mais saborosos. Procure alimentos locais, pois estes têm um menor impacto no planeta, reduzindo ou eliminando, sobretudo, o consumo de carne, laticínios e açúcar. Estas regras são essenciais para uma vida mais natural.

DICA: se não puder comprar alimentos biológicos, diminua o efeito dos pesticidas lavando as cascas das frutas, verduras e legumes com uma escova. Banho de vinagre, solução de hipoclorito ou bicarbonato de sódio não removem todo o veneno.

Onde comprar:

4. Recicle a sua vida

Se está em busca de uma vida mais natural, diga não ao desperdício alimentar, aos sacos de plástico e ao gasto de água. Compre em segunda-mão, reutilize e doe. Apague a luz, pague as contas online e receba todas as faturas eletronicamente. Faça uma refeição vegetariana por semana e reduza os custos naturais, energéticos e de transporte relacionados com a criação e distribuição de produtos de carne. Conduza mais devagar ou recorra ao cruise control – uma excelente forma de poupar combustível e reduzir a sua pegada de carbono.

5. Vista algodão, melhor se for orgânico

O algodão está presente em cerca de 47% dos tecidos do mundo. Mas, apesar de ser natural, a sua produção é a que mais polui o meio ambiente, pois abusa dos agrotóxicos. Já o algodão de cultivo orgânico não tem tratamento químico: os sistemas de produção dependem de insumos naturais que, em vez de prejudicarem a natureza, preservam a saúde do solo e dos trabalhadores. Para completar, esse tipo de algodão evita as alergias causadas por pesticidas e as irritações de pele provocadas por tecidos sintéticos (que retêm calor). Ao comprar qualquer nova roupa, é importante pensar em todo o seu impacto, inclusive depois de a deixar de usar. Peças feitas 100% do mesmo material são mais fáceis de ser recicladas. Combinado com os demais benefícios do tecido natural, esse fator deve ser levado em conta no momento de investir em roupas feitas completamente de algodão orgânico, evitando, sempre que possível, malhas feitas a partir da mistura de diferentes fibras.

BOA NOTÍCIA: há cada vez mais marcas que lançam coleções feitas de tecidos ecológicos.

6. Elimine o açúcar

O açúcar é o vilão da alimentação moderna. O livro Plano Detox de Açúcar, elaborado por uma equipa médica especializada, explica como e porque se tornou o açúcar o vilão da alimentação moderna, por que motivo lhe faz mal e o que pode fazer contra isso. Saiba mais sobre açúcares alternativos e siga os três passos práticos para reduzir o seu consumo de açúcar, comer de forma mais saudável e fazer mais exercício. Inclui dezenas de receitas sem açúcar, saudáveis e deliciosas, para ajudar a começar.

7. Coma integral

São, basicamente, grãos e cereais – como arroz, trigo, aveia e centeio (e os seus derivados: farelo, farinha e pão). O consumo de alimentos integrais tem sido incentivado devido às vantagens nutricionais que apresentam. Substituir os alimentos processados pelos equivalentes integrais é uma recomendação comum para uma nutrição saudável, pois possibilita melhor aproveitamento dos nutrientes que são preservados quando o processo de refinação não é aplicado.

A inclusão de alimentos integrais em planos alimentares para redução de peso, também é importante, principalmente pela retenção do conteúdo de fibras que, entre outros benefícios, prolongam a saciedade, reduzindo a fome e, consequentemente, a quantidade de alimentos ingerida.

É importante não confundir os alimentos integrais com os biológicos. Os biológicos são aqueles que foram plantados sem agrotóxicos ou adubos químicos, mas não são necessariamente integrais – nem os integrais são necessariamente biológicos. E a simples presença da palavra “integral” não significa que o alimento seja 100% integral. É muito importante ficar atento aos ingredientes presentes nos rótulos quando comprar alimentos integrais, como os pães, por exemplo. Aqueles que anunciam no rótulo que são feitos de grãos integrais, podem ter sido feitos exclusivamente com farinha de trigo branca e os grãos integrais foram apenas adicionados à massa, ou seja, este pão não é integral, mas sim os grãos que estão presentes nele.

8. Viva naturalmente

Ok, pode ser difícil. Consegue imaginar-se a viver sem o seu carro? Para alguns, é um santuário pessoal. Também pode ser um grande fardo de emissões de gás. Mas não pare completamente o motor. Tente, ao menos, reduzir a sua dependência do seu veículo. Remeta-o para os passeios de fim de semana. A sua carteira vai agradecer, pois não vai ter de encher o depósito com tanta frequência.

Viver uma abordagem mais natural na vida, mais menos-é-mais, pode ser muito gratificante. Mas, para isso, não tem de largar o seu iPhone, boicotar a sua loja favorita ou vender o seu carro… Pelo menos não tudo ao mesmo tempo. Ao incorporar algumas pequenas mudanças no seu estilo de vida, pode mudar o seu mundo, e o mundo em geral, naturalmente.

(Aproveite este vídeo para mergulhar num universo de puro bem-estar.)

O que achou dos nove passos que identificámos para que tenha uma vida mais natural?

Guia Para Uma Vida Mais Saudável

Este conteúdo chegou até si devido ao envolvimento da marca Kérastase com um estilo de vida mais natural. Nomeadamente através da gama Aura Botanica.

 

Leave a Reply